Confederação
Equipa e Colaboradores regulares
Miguel Ramos
Dramaturgia, Encenação, e Pessoa que chuta com o esquerdo e escreve
com a direita

Miguel Ramos nasce na outrora denominada Bracara Augusta, fundada cerca de 16 a.c. pelo imperador César Augusto. Uma das mais antigas cidades cristãs, vem a tornar-se já no séc. XVIII um ex-libris do Barroco em Portugal. - Passando da psicologia à acção – Isto já nos idos de oitenta, 9 dias após o das mentiras e corrida muita história, nasce ele na não menos Barroca, mas agora denominada Braga. De signo Carneiro no Hemisfério Ocidental e do Tigre no Oriental, decide-se pelo desporto ainda catraio e vai por aí fora, viajando com a bola debaixo do braço. Debaixo do outro, e até à data ainda conserva os dois felizmente, trazia algumas partituras musicais. Não sabendo o que lhes fazer, faz-se em 2010 co-fundador da Confederação - colectivo de investigação teatral.

Rosário Melo
Actriz e Técnica
de Higienização

Rosário Melo nasceu no Porto, a 22 de Setembro de 1992, na Ordem da Lapa, após curtas horas de trabalho de parto. Concluiu o curso de Teatro-Interpretação na Escola Superior de Artes e Espetáculo (2010-2013) e frequentou o curso de Teatro – ramo Atores, na Escola Superior de Teatro e Cinema ao abrigo do programa Vasco da Gama (2012-2013). Em 2010 cruza-se com a Confederação e desde então tem vindo a colaborar com a companhia e a participar nos seus espectáculos. E a arrumar a casa. A da Confederação.

Salvador Correia
Fotografia, Guitarra portuguesa e Artes computacionais 

Nascido no Porto em 1986, tem o seu primeiro contacto com o Fado de Coimbra aquando da ligação académica aos trejeitos de cantar e tocar as já clássicas serenatas. Após um período não superior a seis meses onde se dedica ao estudo da viola de acompanhamento, e canto como parte integrante do Grupo de Fados e Guitarradas da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, inicia o seu estudo de Guitarra de Coimbra, estreia-se ao público pela primeira vez neste instrumento na Serenata Monumental de Recepção ao Caloiro da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, apresentando-se ainda ao longo dos anos de participação com este Grupo em diversos espectáculos por todo o país, de salientar as aparições na Casa da Música e no Coliseu do Porto. Tendo passado por um processo de aprendizagem entre aulas particulares e autodidactismo, assume um estudo mais aprofundado, sobre toda a temática da Guitarra e Fado Coimbrãos, assim como da música popular portuguesa. Desde Dezembro de 2010, membro fundador do grupo Cantos & Variações®, põe em prática os conhecimentos, técnicos e teóricos, de uma aprendizagem que assume como sendo contínua, tendo-se apresentado em conjunto com o Grupo já em várias ocasiões, passando por um festival de musica popular na Ilha de Creta, Grécia. Recentemente, dirigiu o espectáculo Rancho Típico de Miragaia e Cantos & Variações, no âmbito do festival Manobras no Porto. Gravou com o Cantos & Variações o primeiro álbum, Miragaia onde assume a composição de alguns dos temas – lançando os seus primeiros originais –, assim como o arranjo de outros.

Ricardo Soares
Actor e Malabarista 

Ricardo Soares, parido a 6 de Janeiro de 1993, inicia-se no mundo d​o ​Teatr​o​ ​aquando do seu ingresso​ no Conservatório de Música da Jobra, onde completou o Curso Profissional de Artes do Espetáculo. Passou daí para Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, no Porto, em 2011, e, dando continuidade a toda esta descabida trajectória académica, ingressa em 2014 no Mestrado de Desenvolvimento de Projecto Cinematográfico, na Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa. É um homem simples, de brandos costumes, que bebe coca-cola.

Maria João Macedo
Designer e Biscateira

Trabalha com design gráfico sobretudo em projectos de âmbito cultural. Tem um especial interesse pelo desenho de livros, por tipografia e por papéis com pátina. Paralelamente a esta actividade, tem cooperado com associações como o Cineclube Aurélio da Paz dos Reis (Braga) e o Sismógrafo (Porto), especializando-se na produção de baixo orçamento, faça-você-mesmo, corta-e-cola, serigrafia artesanal e fotocópia. Apesar de não pisar o palco, é cúmplice da Confederação desde as primeiras produções, com quem concebeu, entre outros biscates, os Cadernos Hestórico(s), alguns cartazes, e inúmeras folhas-de-sala.

Von Calhau!
Desenhistas 

Von Calhau! nasceu em 2006. É a designação do corpo de trabalho desenvolvido em comunhão por Marta Ângela e João Alves. Opera na zona intersticial (provavelmente inexistente) que separa ritmos vitais de fluxos coreografados.

Andreia Ferreira Sarmento
Mestre Costureira e pessoa com dificuldades no Katamino

Ferreira de família, Sarmento do Senhor que vive lá em casa com ela, a cadela e a gata, nasceu a 3 de Fevereiro de 1988. Depois de uma longa e feliz jornada pela sua infância e adolescência, formou-se em Engenharia Geotécnica e Geoambiente no ISEP, em 2010, mas rápido desistiu do mundo dos calhaus para se dedicar à profissão que lhe enche o coração, as Costurices. Em 2015 ingressou no curso de Modista na Modatex Porto e desde então faz o que mais ama na vida. Neste momento é desenhista e responsável de produção numa empresa de vestuário e equipamento médico e é feliz por colaborar com a Confederação nos seus projetos e officinas, desde 2016, como Mestre Costureira.

Adão Reis
Actor, Ex-cozinheiro, Actual boxeur 

Adão José Gonçalves Reis, assim baptizado pelos seus pais em 1992. Uma infância difícil, a começar pelo nome. Iniciou-se cedo a fazer uns trabalhos de Carpintaria na garagem do pai, acompanhado por ele, com pregos, madeira e martelos que lhe atacavam sobretudo a ponta dos dedos. Farto das violências deste ofício, tenta a sua integração na Culinária por volta dos oito anos, onde também sofreu variadas agruras. Aos dezoito anos, algumas pisaduras, cortes e queimaduras depois, contacta pela primeira vez com o Teatro do Oprimido. Chega à Confederação em 2012: e porque o Teatro lhe fez tão bem, continua a fazê-lo até aos tempos que correm, influenciando definitivamente o seu percurso académico, agora enquanto estudante de Educação, no Porto.

Liliana Pinto
Vogal e Pessoa consciente 

Nasce em 1985 e cresce num coração da cidade do Porto que já não bate igual – o Mercado do Bom Sucesso. Aqui se rodeia das gentes tripeiras e dos belos produtos da gastronomia portuguesa que ainda hoje a fascinam – os ricos enchidos, a broa de Avintes e belos e variados docinhos que nunca faltam nos jantares com que tanto gosta de juntar a malta. Porque criada num verdadeiro Mercado de uma verdadeira Cidade de Boas Gentes, cedo se manifestou interessada por preservar e reinterpretar as memórias vivas dos lugares e pessoas com que se cruza, por isso fez-se socióloga de profissão. Enquanto tal trabalha desde 2008 em diferentes contextos, conseguindo sempre escapar à debandada dos que partem porque não encontram lugar em Portugal para fazer o que acreditam. Chega à Confederação porque vê aqui mais um espaço para pôr em prática o seu espirito de ativista, tentando fazer cumprir a missão que Augusto Boal nos ensina “ser cidadão não é viver em sociedade, é transformá-la”.

Eurico, o Refinador
Crítico das artes 

Euríco, o refinador (23 Abril de 1974), foi Ponto durante 15 anos nos palcos Portugueses, o que lhe deu um jeito outro de olhar o Teatro. Presentemente colabora com a Confederação – colectivo de investigação teatral, ocupando o lugar vago na cena portuguesa de critico das Artes, mais especificamente da 5ª.

José Caio
Karateca, Ciclista e TOC 

Com nota biográfica reservada por motivos profissionais. Na Confederação desde 2012.
* Técnico Oficial de Contas

Tiago Rito
Médico e Pessoa consideravelmente inútil na companhia

Médico nascido na província que exerce na capital. 

... E ainda, Adriano Campos, Alberto Seixas Santos, Álvaro Siza Vieira, Amarante Abramovici, Ana Deus, Ana Luísa, Ana Miranda, Ana Moreira, Anna da Palma, Ana Sampaio, Ana Ulisses, Andrea Peniche, António Eloy, Artista Unidos, Barbara Sousa. Barbara Veiga, Bruna Rafaela, Bolos Quentes, Casa da Achada, Cátia Rafaela, César Pedro, Cineclube Aurélio da Paz dos Reis, Cláudia Varejão, Daniela Leão, Daniel Ribeiro Duarte, David Pinho Barros, Denise Saito, Diogo Lopes, Diogo Sousa, Edgar Pêra, Eduarda Dionísio, Elena Henriques, Eugénia Vasques, Francisca Mariz, Francisco Laranjeira, Frederico Lobo, Ginette Lavigne, Goethe Institut, Grupo Musical de Miragaia, Guiomar Ramos, Helena Isabel, Henrique Cachetas, Henrique Pereira, Inês Gregório, Inês Maia, Isabel Alves, Isalinda Santos, Joana Francisca, João Marçal, João Silva, João Sousa Cardoso, José Maia, José Roseira, Jorge Silva Melo, José Soeiro, Juana Machado, Júlio Gago, Leonel Brito, Letícia Melli, Luís Alfredo, Luís Rocha Antunes, Major Tomé, Margarida Cardoso, Margarida Gil, Mariana Brito, Marta Calejo, Marta Cunha, Mayra Ronda, Miguel Marques, Né Barros, Noémia Delgado, Óscar Faria, Patrícia Nogueira, Paula Machado, Paulo Cunha, Paulo Rocha, Pedro Ferreira, Pedro Ludgero, Pedro Mesquita, Pedro Pinho, Pedro Sena Nunes, PELE, Pii Costa, Regina Guimarães, Ricardo Leite, Ricardo Salabert, Rita Gomes, Roberto Terra, Rua do Sol, Rui Manuel Vieira, Saguenail, Sara Gomes, Sérgio Daniel, Sério Fernandes, Solveig Nordlund, SOS Racismo, SOTAO, Teatro da Cornucópia, Tiago Afonso, Teresa Coutinho, Teresa Prata, Túlio Pezoni, Vânia Pereira, Vasco Costa, Vasco Temudo, Vintena Vadia... e tantos outros... o nosso obrigado.

© 2019  Confederação – colectivo de investigação teatral