Confederação
Direcção da Confederação
2017-2022

Adão Reis, Ana Rebelo, António Preto, Liliana Pinto, Maria João Macedo, Miguel Ramos, Pedro Sarmento, Rosário Melo, Salvador Correia.

Equipa e Colaboradores regulares
Miguel Ramos
Dramaturgia, Encenação, e Pessoa que chuta com o esquerdo e escreve
com a direita

Miguel Ramos nasce na outrora denominada Bracara Augusta, fundada cerca de 16 a.c. pelo imperador César Augusto. Uma das mais antigas cidades cristãs, vem a tornar-se já no séc. XVIII um ex-libris do Barroco em Portugal. - Passando da psicologia à acção – Isto já nos idos de oitenta, 9 dias após o das mentiras e corrida muita história, nasce ele na não menos Barroca, mas agora denominada Braga. De signo Carneiro no Hemisfério Ocidental e do Tigre no Oriental, decide-se pelo desporto ainda catraio e vai por aí fora, viajando com a bola debaixo do braço. Debaixo do outro, e até à data ainda conserva os dois felizmente, trazia algumas partituras musicais. Não sabendo o que lhes fazer, faz-se em 2010 co-fundador da Confederação - colectivo de investigação teatral.

Rosário Melo
Actriz e Técnica
de Higienização

Rosário Melo nasceu no Porto, a 22 de Setembro de 1992, na Ordem da Lapa, após curtas horas de trabalho de parto. Concluiu o curso de Teatro-Interpretação na Escola Superior de Artes e Espectáculo (2010-2013) e frequentou o curso de Teatro – ramo Actores, na Escola Superior de Teatro e Cinema ao abrigo do programa Vasco da Gama (2012-2013). Em 2010 cruza-se com a Confederação e desde então tem vindo a colaborar com a companhia e a participar nos seus espectáculos. E a arrumar a casa. A da Confederação.

Bernardo-01.jpg
Bernardo Sarmento
Actor. Carpinteiro, marceneiro e pintor nas horas vagas

Nascido em 1998 na cidade do Porto e orgulhosamente criado na freguesia de Paranhos, teve uma infância feliz e saudável. Cedo descobre o Teatro e, em 2015, já convencido que o Teatro seria a sua vida, cruza-se com a Confederação através da Officina de Teatro Popular. Em 2016 ingressa na ESMAE para fazer a Licenciatura em Teatro - Interpretação que conclui brilhantemente em 2019, nunca deixando para trás a ligação com a Confederação. Em 2020 com o aparecimento da pandemia de Covid- 19 inicia um curso intensivo de Carpintaria e
Marcenaria com o Mestre Euríco, o Refinador, ficando habilitado a participar na construção das cenografias teatrais. Desde então faz tudo o que seja preciso dentro de um Teatro.

MC.png
Macedo Cannatà
Estúdio de Design

Fundado em 2018, Macedo Cannatà desenvolve uma abordagem que prioriza o conteúdo em detrimento do estilo, permitindo que os processos de diálogo com as várias partes – clientes, autores, curadores, editores, técnicos, produtores – tenham um papel determinante no resultado final.

Von Calhau!
Desenhistas 

Von Calhau! nasceu em 2006. É a designação do corpo de trabalho desenvolvido em comunhão por Marta Ângela e João Alves. Opera na zona intersticial (provavelmente inexistente) que separa ritmos vitais de fluxos coreografados.

Foto_Ana Coelho.jpg
Ana Coelho
Direcção de Comunicação, Designer
e pessoa Verde. 

Ana Coelho, afavelmente conhecida por Coelhinho pelo elenco da Confederação. Orgulhosamente de 88, ninguém lhe dá a idade que tem. Tirou o curso de Design de Comunicação na Faculdade de Belas Artes do Porto (2006-2010) e tem vindo a aventurar-se noutros cursos da mesma área. Entrou de forma inesperada na Officina de Teatro Popular da Confederação, sabia lá ela o que lhe esperava! Identifica-se com a alienada Custódia - uma das personagens que interpretou. Costuma pensar e espantar-se com coisas aleatórias, tais como, a forma como as patas dos pássaros estão feitas para os troncos das árvores e vice-versa.

IMG_6897.JPG
Andreia Ferreira Sarmento
Mestre Costureira e pessoa com dificuldades no Katamino

Ferreira de família, Sarmento do Senhor que vive lá em casa com ela, a cadela e a gata, nasceu a 3 de Fevereiro de 1988. Depois de uma longa e feliz jornada pela sua infância e adolescência, formou-se em Engenharia Geotécnica e Geoambiente no ISEP, em 2010, mas rápido desistiu do mundo dos calhaus para se dedicar à profissão que lhe enche o coração, as Costurices. Em 2015 ingressou no curso de Modista na Modatex Porto e desde então faz o que mais ama na vida. Neste momento é desenhista e responsável de produção numa empresa de vestuário e equipamento médico e é feliz por colaborar com a Confederação nos seus projectos e officinas, desde 2016, como Mestre Costureira.

LuísFerraz.jpg
Luís Ferraz
Videasta e pessoa com paciência

"Dissolveu-se a União Soviética e um dia depois nasceu um bebé gordo" é o título da autobiografia que nunca escreverá. Entretanto, por cá, conta-nos algumas das suas... Juntou-se à Officina de Teatro Popular só para ajudar no que fosse preciso, mas quando atirado aos lobos, por lá foi ficando. Como não sabia o que fazer à vida e só gostava de papar filmes, foi para a Escola Superior Artística do Porto, formar-se em Cinema e Audiovisual, onde aprendeu sobre o que era o cinema dos pobres e a nobre arte de ser português. De momento, ministra cursos de curta duração de como se deixar crescer uma boa barba. Diz que um dia a cortará, mas que a mãe não deixa.

Manada.png
Maria Manada
Cenógrafa,...

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.

Eurico, o refinador
Crítico das artes 

Euríco, o refinador (23 Abril de 1974), foi Ponto durante 15 anos nos palcos Portugueses, o que lhe deu um jeito outro de olhar o Teatro. Presentemente colabora com a Confederação – colectivo de investigação teatral, ocupando o lugar vago na cena portuguesa de crítico das Artes, mais especificamente da 5ª.

... E ainda, Adão Reis, Adriano Campos, Alberto Seixas Santos, Álvaro Siza Vieira, Amarante Abramovici, Ana Deus, Ana Luísa, Ana Miranda, Ana Moreira, Ana Rebelo, Anna da Palma, Ana Sampaio, Ana Ulisses, Andrea Peniche, Ângela Maia, António Eloy, Artista Unidos, Barbara Sousa. Barbara Veiga, Bernardo Sarmento,  Bruna Rafaela, Bolos Quentes, Casa da Achada, Cátia Rafaela, César Pedro, Cineclube Aurélio da Paz dos Reis, Cláudia Varejão, Daniela Leão, Daniel Ribeiro Duarte, David Pinho Barros, Denise Saito, Diogo Lopes, Diogo Sousa, Edgar Pêra, Eduarda Dionísio, Elena Henriques, Eloy Monteiro, Eugénia Vasques, Filipe Fernandes, Francisca Mariz, Francisco Laranjeira, Frederico Lobo, Ginette Lavigne, Goethe Institut, Grupo Musical de Miragaia, Guiomar Ramos, Helena Isabel, Henrique Cachetas, Henrique Pereira, Inês Filipa Ferreira, Inês Gregório, Inês Maia, Inês Meira, Inês Pinto, Isabel Afonso, Isabel Alves, Isalinda Santos, Joana Canas Marques, Joana Francisca, Joana Pinto Santos, João Marçal, Joana Melo, João Silva, João Sousa Cardoso, João Lima, José Maia, José Roseira, Jorge Silva Melo, José Soeiro, Juana Machado, Júlio Gago, Leonel Brito, Letícia Melli, Luís Alfredo, Luís Ferraz, Luís Rocha Antunes, Major Tomé, Margarida Cardoso, Margarida Gil, Mariana Brito, Marta Calejo, Marta Cunha, Mayra Ronda, Miguel Marques, Mónica Samões, Né Barros, Noémia Delgado, Óscar Faria, Patrícia Nogueira, Paula Machado, Paulo Cunha, Paulo Rocha, Pedro Ferreira, Pedro Ludgero, Pedro Mesquita, Pedro Pinho, Pedro Sarmento, Pedro Sena Nunes, PELE, Pii Costa, Regina Guimarães, Ricardo Leite, Ricardo Salabert, Ricardo Vieira Lisboa, Rita Aguiar, Rita Gomes, Roberto Terra, Rua do Sol, Rui Manuel Vieira, Saguenail, Sara Gomes, Sérgio Daniel, Sério Fernandes, Solveig Nordlund, SOS Racismo, SOTAO, Tânia Dinis, Teatro da Cornucópia, Tiago Afonso, Teresa Coutinho, Teresa Prata, Túlio Pezoni, Vânia Pereira, Vasco Costa, Vasco Temudo, Vintena Vadia... e tantos outros... o nosso obrigado.